07 março 2017

Resenha: Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie.

 Americanah
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Páginas: 516.
Editora: Companhia das Letras
Comprar: AmazonCultura

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero.


O livro de hoje é um queridinho da crítica e aclamado pelo público, mais uma das grandes obras escritas por Chimamanda Ngozi, e mesmo sendo denso e questionador, cheio de polêmicas, a autora sabe escrever de uma maneira que conquista o leitor aos poucos, e este quando se dá conta de quanto já leu não quer mais parar. 

A história conta a vida de Ifemelu, sendo narrada em terceira pessoa e muitas vezes alternando entre presente e passado, retratando suas dificuldades financeiras e os traumas emocionais da sua infância, o seu primeiro amor da adolescência, suas escolhas, sua mudança para os Estados Unidos, sua volta para a Nigéria e o redescobrimento de sua Terra Natal e do seu amor por Obinze.

Apesar de mostrar em grande parte a trajetória de Ifemelu, o livro conta com outras histórias que cruzam com a dela, trazendo diferentes pontos de vista do mesmo problema. 

Assim sendo, o livro não é apenas sobre como Ifemelu e Obinze se apaixonaram e como enfrentaram grandes obstáculos para viver esse amor, é a história de como o período de ditadura na Nigéria afetou profundamente a vida das pessoas, como cada nigeriano pra onde quer que fosse trazia consigo uma espécie de cicatriz, é sobre preconceito e racismo, sobre a outra face do sonho americano, a mediocridade do ser humano, sobre abuso sexual, sobre lutas de gênero e feminismo, sobre traição, pobreza e insatisfação, sobre manter as aparências quando tudo já foi pelo ralo, sobre descobrir a si próprio como alguém capaz de vencer mais um dia, sobre sentir saudades do que era, sobre voltar e se encontrar, sobre suicídio e depressão, sobre rótulos, sobre guerras acadêmicas e de egos, sobre se redescobrir e recomeçar. E principalmente, sobre como depois de tudo, Ifemelu ainda ama Obinze e Obinze nunca esqueceu Ifemelu.

Não é um livro fácil no sentido de ler pra passar o tempo, é um livro que te faz questionar a própria natureza humana e o modo como as pessoas se relacionam de acordo com suas culturas, é um livro pra pensar e é tão bem escrito que você vai lamentar não ter lido antes.

Em outras palavras, um livro que vale a pena!

Abraços.
Melissa

14 comentários:

  1. Eu tenho esse livro, mas, infelizmente, ainda não fiz a resenha, sim, ele é denso na medida, a autora é simplesmente perfeita, uma das grandes vozes negras no mundo e que vem rompendo esteriótipos e ajudando a tornar o mundo num lugar melhor. Concordo quando você diz que não é um livro de entretenimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoraria ler sua resenha, cada um sente algo quando lê o livro e como este tem muitos pontos polêmicos e questões tabus, gostaria de ver outros pontos de vista.

      Obrigada por sempre estar por aqui :))

      Excluir
  2. Oiiie!

    Adorei a indicação! Nunca tinha ouvido falar, acredita? Parece ser bem interessante

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Primeiramente, que blog mais lindo! Adorei demais! Agora, já tem um tempinho que quero ler algo da Chimamanda Ngozi Adichie, quando eu conheci ela por uma música, chamada Flawless, eu fiquei totalmente encantado! Quero muito começar: "Sejamos Todos Feministas", a proposta do livro é ótima e ainda não li nada do tipo. A respeito deste eu também me interessei e irei colocar na minha wishlist literária infinita!

    Beijos,
    Lu - @justificou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essencial em cada wishlist literária infinita, tenho na minha todos os outros dela. São muitos, mas a gente consegue ;)

      ps.: quando ouvi parte daquele discurso dela em Flawless me arrepiei toda! Muito emocionante!!

      Excluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu estou MUITO ansiosa para ler esse livro. Eu já conhecia a Chimamanda de algumas entrevistas dela que eu vi no Youtube. Aí, recentemente eu li "Sejamos todos feministas" e me encantei de vez. Que mulher incrível!!
    Tenho certeza que, como você disse, não é uma leitura fácil. Mas deve trazer muitos aprendizados e reflexões.
    Adorei sua resenha e pretendo ler este livro em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bom :)

      Leia sim, é um livro que faz a gente se apaixonar pela vida e por a gente mesmo <3

      Obrigada!!

      Excluir
  5. Olá Melissa, não sabia desse livro e já na sinopse me apaixonei!
    Nunca vi um livro que tratasse da militância, empoderamento, debate de orientação sexual e das questões de gênero. Me senti muito atraída a leitura, acho que será de grande reflexão! Obrigada pela recomendação.
    Beijos.
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bom?!

      Chimamanda é muito atuante no movimento feminista e principalmente quanto ao feminismo negro, e passa muito disso pela sua escrita e discurso, ela faz a gente refletir sobre muitas coisas. :)

      Excluir
  6. OOoi Melissa,Gostei muito da sua resenha e da suas observações, e estou louca pra ler hahahah
    beijjos

    ResponderExcluir
  7. Oie tudo bem? Gosto muito da proposta do livro e sua avaliação sobre ele só me deixou com mais vontade de ler. Li ontem mesmo aquele outro livro dela "Sejamos todos feministas" e a escrita da autora é muito boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótima, eu mesma pretendo ler todos dela e sair indicando por aí prq essa mulher é uma obra prima da literatura!!

      Excluir
  8. Eu gostei muito da narrativa do livro, mesmo ela sendo difícil, eu acho que o tema é importante e precisa ser lido.

    ResponderExcluir