25 agosto 2016

Entrevistamos a Luisa Soresini!

Oi, gente. Tudo bem?
Vocês lembram que no mês de julho fizemos um especial só de livros nacionais aqui no blog? Resenhamos o livro A Filha do Norte e agora eu trago a entrevista que fiz com a autora! 

Meio capixaba, meio mineira, Luisa Soresini Ramalho Diláscio viveu grande parte de sua vida perto do mar, na sua terra natal, Vitória, e passou os últimos quatro anos em Minas Gerais. Ocupa a maior parte de seu tempo como desenhista, poetisa e romancista; o resto ela divide com o trabalho como professora, com a irmã e com seus gatos. Formada em Letras, sempre gostou de ler e escrever, mas em vez de deixar as histórias engavetadas, resolveu trazê-las a público neste seu primeiro livro, A filha do Norte. Página da autora

Pense rápido: 

Um livro: A Chama da Esperança;
Um autor: Amanda Ághata Costa;
Uma música: Firework;
Um sonho: Ganhar a vida como escritora;
Um amor: Escrever;
Você não gosta de: Ter enxaqueca;
Uma qualidade: Humildade;
Um defeito: Preguiça;
Uma palavra: Livros.


Você lembra qual foi o primeiro livro que leu? Qual foi? Acredita que foi com este que seu amor pela literatura nasceu? 

Acho que foi Ou Isto ou Aquilo de Cecília Meirelles. Eu me lembro de que eu gostava da sonoridade e eu sempre admirava como a pessoa teve uma ideia tão fantástica. Mais velha, um dos livros que mais me marcou foi A Turma dos Tigres, eu gostava de resolver os enigmas e me sentia a detetive rsrs. Acho que todos esses livros ajudaram no meu amor pela literatura. 

Você teve alguma inspiração para escrever A Filha do Norte? 

Eu me inspirei em livros como Frankenstein e Drácula, além de alguns contos de fadas também. Somado a isso, eu gostava também de usar alguma referência vinda de animes e mangás. 

E para criar a Michelle? Ela tem alguma característica sua? 

Admito que eu criei primeiro os meninos e depois ela. Contudo, assim que eles foram criados Michelle foi sendo construída na minha mente com o melhor de cada um deles. Michelle tem o meu amor e a minha vontade de se tornar uma pessoa melhor a cada dia. 

Como foi o processo de escrever um livro? Quanto tempo você levou? Você teve alguma dificuldade? Qual foi?

Foi muito tranquilo. Para mim era diversão, já que eu não tinha a necessidade de publicar nada naquele momento. Por isso, acho que demorei 2 anos e meio para escrever o livro. Minha maior dificuldade foi em encontrar uma maneira de trocar os narradores e descrever as cenas com mais precisão e intensidade. Por isso, achei melhor eliminar parágrafos e fazer um texto mais visual. Para mim deu certo. Rsrs 

Tem algum personagem do qual goste mais? E algum do qual goste menos? 

Meu personagem preferido fica entre o Danton e o Carl. Acho que o Danton é um personagem muito bem construído e de uma intensidade fora do comum e o Carl é o meu filhotinho, né? Rsrs Eu ainda não posso falar o que eu gosto menos, porém acho que dessa primeira parte o Renan com certeza kkk. 

Qual a sua cena favorita do livro?

Uma das minhas cenas favoritas é a do beijo e também a que a Mina ensina a Michelle a lutar. Adoro essas. 

Quando sairá a continuação? 

Ainda não tem uma data, porém em breve teremos novidades sobre isso. 

Hoje, você mudaria alguma coisa no seu livro?

Ainda não. Eu amo tudo que eu fiz e tudo que eu criei. Esses personagens que me inspiram a seguir em frente são maravilhosos e incríveis. 

Você está trabalhando em alguma outra obra? Sobre o que ela fala? 

Em uma obra chamada A face da obscuridade. Ela também tem essa temática voltada para o sobrenatural, porém tem bastante mistério. 

Gostaria de deixar um recado aos leitores e a quem sonha escrever um livro?

Olá, pessoal. Obrigada por lerem A filha do Norte, vocês são maravilhosos! Se vocês ainda não tem a obra adquiram comigo e ganhem vários brindes!! Para você que quer ser escritor como eu, não desista, corra atrás dos seus sonhos e seja muito humilde! Abraços, Luisa. 

Que linda, né gente? Minha cena preferida também foi a do beijo. *.* Se vocês quiserem saber mais sobre A Filha do Norte, não deixem de ler a resenha! 

Beijos <3

Viu algum erro nessa postagem?
Envie um e-mail para bloglivrosecores@gmail.com

2 comentários:

  1. Acho ótima essa ideia de entrevistar autores nacionais.
    È um forma de conhecê-los melhor,de saber como surgiu a vocação para escrever e claro,a de conhecer seus trabalhos.
    E se ela se inspirou no Drácula, que é um de meus personagens favoritos,tenho que ler o livro.
    :)
    Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  2. Oi Roberta!
    Amei a entrevista ela parece uma fofa! Ela disse para adquirir o livro com ela, tem algum e-mail ou site para entrarmos em contato com ela?
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir