01 julho 2016

Resenha: Dois Garotos se beijando - David Levithan.

Dois Garotos se beijando
Autor: David Levithan
Páginas: 224
Editora: Galera Record 

Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer. 



Quando comecei a ler Dois garotos se beijando do autor David Levithan, o fiz porque já havia lido outra obra do escritor e adorado (Todo dia). Fiquei curiosa quando vi a capa desse livro, lembro que me chamou logo a atenção e quando vi a sinopse, tive que ler.
O início do livro não foi fácil, não vou mentir. Me senti um pouco irritada de começo porque a narração é um pouco confusa nas primeiras páginas quando eu ainda não sabia o nome de todos o personagens principais e ficava me enrolando e confundindo um com o outro. Até me localizar no texto eu não curti muito mas depois das primeiras trinta e poucas páginas lidas eu comecei a acompanhar o fluxo dos acontecimentos.
O caso aqui é que a escrita de Levithan não é linear e a história vai passando de um personagem para o outro. 
O livro é narrado pela voz de muitos gays que morreram em gerações passadas devido a AIDS e através deles acompanhamos a história de: Harry e Craig, Avery e Ryan, Neil e Peter, Tariq e Cooper. 
Nas histórias desses garotos, a única coisa que vemos em comum entre eles, é o fato de serem gays mas tudo mais é um caso a parte. 

Tudo se inicia quando Harry e Craig resolvem tentar bater o recorde mundial de mais de 32 horas beijando, eles iniciam essa trajetória por vários motivos mas um deles é justamente para dar apoio a um amigo deles que passou por maus bocados anteriormente. Durante toda essa maratona, ajudados por amigos, professores, polícia e apoiados (muitas vezes não) por vários anônimos, é que acompanhamos esses garotos se beijarem e durante todo esse período a história dos outros vai se desenrolando. Seus dramas, seus medos, suas alegrias, suas reflexões, tudo ali naquele intervalo de 32 horas...
Há muito conflito, claro, mas há também muita esperança e gostei de sentir que no decorrer da leitura eu me juntava a torcida de pessoas que queriam ver os garotos vencerem aquela empreitada, porque o sentimento era que com isso os problemas dos outros se resolveriam também. 
Achei a escrita linda (mais uma vez). O autor consegue traduzir em palavras vários sentimentos e durante a leitura senti vontade de grifar vários trechos. Mas o que me encantou mesmo foi no fim do livro, os agradecimentos e a explicação que ele dá para as inspirações que teve para escrever a história.

Um trechinho:
"É muito difícil encarar um dia após o outro sem outro rosto familiar olhando para você. Isso transforma seu coração em um músculo sem propósito. Quanto menos ligações você tem com o mundo, mais fácil é ir embora."
Até a próxima!

Nos acompanhe nas redes sociais!
Viu algum erro no texto?
Envie um e-mail para bloglivrosecores@gmail.com

23 comentários:

  1. haha, super fácil passar 32 horas se beijando se for com alguém que você gosta/ama.
    mesmo achando muito criativo o tema do livro, não me deu muita vontade de lê-lo
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá Tamara
    Eu também já li esse livro e gostei bastante da leitura. É uma obra que possui muitos conflitos mesmo, assim como reflexões. Gosto bastante da escrita do autor. Sentimentos é o que não faltam nessas páginas né?! E claro, os personagens também são muito bem construídos.

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Ja vi esse livro em vários lugares, mas ainda não tive a oportunidade de le-lo. Parece ser uma história realmente muito boa e trazer um assunto muito pertinente nos dias atuais, já que a luta dos gays contra o preconceito ainda não acabou. Adoraria ler este livro é conhecer a histórias desses garotos gays que passam por tanta coisa...


    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamara, como não achar linda a escrita do Levithan? E amo, muito!!! Acho que o inicio também me causou um pouco de estranheza e também fiquei confusa, mas como você, depois deste inicio, a leitura fluiu e me emocionou demais.
    Amei saber sua opinião sobre este livro!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Esse livro é incrível mesmo! Impossível não se apaixonar pela escrita do Levithan. Sabe de forma única contar uma bela história de amor. Com certeza entendo o quanto você gostou. Realmente o início é estranho, mas vale a pena insistir.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Gosto de David Levithan e dos temas que aborda em seus livros, o ruim de começos de livros confusos é que muitos leitores desistiram e por isso leio vários comentários negativos, achei bem inusitado ele querer bater esse recorde, mas por fim é uma obra que começo a acreditar que é boa, recoloquei como desejada

    ResponderExcluir
  7. Olá
    Eu ainda não lo nada do David, acredita nisso? Estou super curioso em ler Todo Dia ou Dois garotos se Beijando, depôs de ler essa sua resenha eu só confirmar o que eu suspeitava, já que o autor é super bem elogiado por suas histórias bem legais. Outro motivo que me faz ler esse livro é o fato de nuncate lido nenhum livro com temática LGBT, e esse deve ser a pedida certa, espero que não demore muito para que isso acontece. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  8. Oi Tamara, tudo bem?
    Li poucos livros do David Levithan, sendo "Wil & Will" (em parceria com John Green) e "Garoto encontra garoto", e admito que amei ambos, a escrita dele é muito fofa e também amo romances adolescentes e sendo lgbt, melhor ainda!
    Estava ansiosa para ler esse livro, então fico um pouco decepcionada em saber que as primeiras páginas são muito confusas. Assim como você, eu também detesto quando os fatos vão sendo jogados dessa maneira pois até conhecermos melhor os personagens e conseguir associá-los aos nomes, fica bem complicado. Também fico um pouco intrigada em saber que a narrativa não é contada apenas pela perspectiva de uma pessoa e sim por várias, mas vi inúmeras críticas positivas então creio que isso não irá atrapalhar. Espero ler em breve, pois tenho um carinho especial pelo autor.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  9. Oi, confesso que sempre tive muita vontade de ler essa obra. Principalmente quando foi lançada que pipocaram resenhas e comentários acerca acabaram me despertando o interesse, no entanto o tempo foi passando e como não tive a oportunidade acabei deixando de lado. Ao ler sua resenha me fez ver um lado diferente do livro e me fazer repensar se eu irei gostar de como a história é desenvolvida, o fato do início ser confuso já me deixou com o pé atrás e ficar contanto a história de outros casais no meio da narrativa... Não sei, não faz muito o estilo de livros que gosto de acompanhar :/ De qualquer forma, se eu tiver a oportunidade eu lerei, parabéns pela sua resenha!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi Tamara,
    Eu ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro e achei bem interessante. Não sabia que era baseado em fatos reais, me surpreendi com esse ponto. Gostei também do fato de ser narrado por uma geração que morreu de câncer. Outro ponto que reforçou a minha ideia de que é um bom livro foi a sua menção que o autor consegue transparecer no livro diversos sentimentos. Eu sempre tive muita curiosidade em realizar a leitura de algum livro do David Levithan e ainda não tive a oportunidade, espero ter a chance em breve.
    beijos
    Um Rascunho a Mais

    ResponderExcluir
  11. Olá Tamara,
    Estou com esse livro na meta de leitura da MLI2016 e bem ansiosa para fazer a leitura.
    Confesso que desanimei um pouco quando falou de sua dificuldade de identificar os personagens no começo da trama. Isso pode deixar a leitura bem menos fluida, o que é terrível para uma maratona. Mas, apesar disso, a grandiosidade da obra é inegável. E é uma bela homenagem o que o Harry e Craig fizeram.
    Vou ler e depois te conto o que achei.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  12. OI!!
    Tamara tudo bem?
    Gostaria de dizer que amei a sua observação no final e "peguei" a ideia (erros no texto). Agora sobre o livro, embora seja um livro que retrate culturalmente os problemas enfrentados pelas opções sexuais não me interessou, sei que ao ler muitos pontos de vista serão mudados, e creio que para melhor. Entretanto, não me contagiou, e passar 32h beijando alguém é.....nem sei dizer, cansativo?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oie, flor.

    Nunca li nada do autor, apesar dos seus livros trazerem temas pertinentes, nunca senti vontade de ler. E vejo muitas pessoas, assim como você, elogiar sua escrita.
    Essa é a primeira resenha desse livro do autor que leio e achei a premissa interessante e como é baseado em fatos reais sempre me chama a atenção, porém, ainda assim não é um livro que eu leria, e confesso que não curti essa capa...
    Espero que algum livro do Devid Levithan me chame a atenção, pois sou curiosa pra conhecer a sua escrita.

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  14. Olá!! :)

    Nao conhecia o livro e gostei da premissa: quebrando tabus e abrindo a mente das pessoas! :)

    Bem, eu gostei da premissa entao, e ainda bem que gostaste da escrita, por te fazer ate sentir... :) Que bom que a leitura foi fluida e prazerosa!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  15. Li o livro Todo Dia e achei interessante e diferente a trama E exatamente por isso gostaria de ler Dois Garotos se Beijando. É um assunto difícil e polêmico e também me agradou o enredo.

    ResponderExcluir
  16. Achei que fosse só eu que ficasse confundindo o nome dos personagens de livros ajhsjahsj. Isso sempre acontece comigo. Enfim, ouvi falar muito bem do David Levithan, e principalmente de Todo dia, que estou louca pra ler faz um tempo. Mas nunca tinha ouvido falar desse livro, e ele me parece ser muito interessante. Amo livros que falam sobre aceitação e outros temas mais fortes, principalmente por ser algo tão difícil de abordar. Gostei muito da sua resenha e espero ler esse livro um dia!

    ResponderExcluir
  17. Oi ^^

    Ainda não tive a oportunidade de ler algo escrito pelo autor, mesmo já tendo ouvido vários comentários incríveis sobre sua escrita.
    Todo Dia ainda não tinha despertado meu interesse, mas com certeza este outro livro faz mais o meu estilo e possivelmente será a minha estreia como leitora das obras do David. :D

    ResponderExcluir
  18. Oi Tamara,
    É interessante como a experiência de leitura é algo que muda tanto de leitor pra leitor, eu li o livro há algum tempo e pra mim ele fluiu maravilhosamente bem desde o inicio, não achei confuso, eu gosto muito do estilo de narração do David. E depois dessa leitura quero ler mais e mais obras dele.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olha, eu acho esse um tema muito relevante, que deve ser bastante explorado e muito discutido na nossa sociedade. Fiquei muito curiosa para realizar essa leitura, gostei da ideia do texto ser narrado pela voz de muitos gays que morreram em gerações passadas. Acho que isso deve trazer mais verdade à narrativa. Gostei muito da proposta do livro!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  20. Não consigo e não gosto de ler livros com a temática LGBT em contrapartida, gosto bastante de filmes, se você realmente curtiu a história que o livro traz como tema central, assista "The normal heart", é um filme incrível com um elenco de matar. Sério. Assista. É uma obra que dói a alma, mas, é linda. Sobre o livro, é aquilo, não leria. Não conheço as obras do autor ainda, apesar de querer ler todo dia. Beeeeijos

    ResponderExcluir
  21. Oii, tudo bem?
    Eu ainda não li nadado David, mas sempre ouvi muitas pessoas falando maravilhas a respeito da escrita dele. Eu tenho muita vontade de de ler esse livro, pois gostei muito da premissa, e achei a ideia de ter outras pessoas narrando a historia diferente.

    ResponderExcluir
  22. Admiro tanto a batalha LGBT que quando eu vejo algum livro relacionado ao tema, morro de orgulho. Acho maravilhoso o fato do autor querer quebrar tabus e tentar livrar a sociedade desse preconceito ridículo que nos cerca. Adorei a história, ainda não conhecia o livro e preciso lê-lo, de verdade. Sucesso ao autor, sempre.

    ResponderExcluir
  23. Oi gente, muito obrigada pelos comentários ^^
    não dá pra responder todos sempre mas leio com todo o carinho

    :**

    ResponderExcluir