31 março 2016

Resenha: A torre acima do véu - Roberta Spindler.

A Torre Acima do Véu
Autora: Roberta Spindler. 
Páginas: 272. 
Editora: Giz Editorial. 
Comprar: FNAC | Amazon (Capa Antiga) | Site editora (Capa Atual). 

A torre acima do véu - "Quando uma densa e venenosa névoa surge misteriosamente, pânico e morte tomam conta do planeta. Os poucos sobreviventes se refugiam no topo dos megaedifícios e arranha-céus das megalópoles.
Acuados, vivem uma nova era de privações e sob o ataque constante de seres assustadores, chamados apenas de sombras.
Suas vidas logo passaram a depender da proteção da Torre, aquela que controla os armamentos e a tecnologia que restaram.
Cinquenta anos se passam, na megacidade Rio-Aires, Beca vive do resgate de recursos há muito abandonados nos andares inferiores, junto com seu pai e seu irmão. A profissão, perigosa por natureza, torna-se ainda mais letal quando ela participa de uma negociação traiçoeira e se vê cada vez mais envolvida em perigos e segredos que ameaçam muito mais do que sua vida ou a de sua família.

A Torre Acima do Véu, da autora Roberta Spindler, publicado pela Giz Editorial, foi uma adorável surpresa. Não que eu achasse que a leitura seria ruim, mas não pensei que fosse gostar tanto! 

O mundo foi dominado por uma névoa, que matou milhões de humanos, transformou outros em criaturas horríveis e fez com que alguns dos bebês que nascessem depois dela, tivessem habilidades diferentes e superiores aos humanos normais. O livro se passa cinquenta anos depois do aparecimento da névoa. A humanidade vive, na sua maioria, em situação precária, enquanto poucos desfrutam de luxo. Esses poucos são os que vivem na Torre, que domina quatro setores que se encontram na chamada "Zona da Torre". Todos os humanos sobreviventes vivem nas partes mais altas de megaedifícios, onde a névoa não consegue alcançá-los. Eles se locomovem através de cordas-gancho, pulando de prédio em prédio ou através de helicópteros. Existem, ainda, gangues e grupos de pessoas que foram exilados pela Torre, por serem contra esta. 

Nossa protagonista se chama Beca, ela vive com o pai adotivo e o irmão no Setor 2. Eles sobrevivem resgatando objetos em andares mais baixos dos prédios, o que é muito perigoso. Beca é uma saltadora, ela nasceu depois da névoa e tem habilidades que ajudam muito na sua profissão. Há outro personagem, chamado Rato, que é um informante e hacker. Ele dá informações sobre onde encontrar esses objetos. 

Quando Beca perde algo importante, Rato informa que isso está nas mãos dos sombras, mas que pode ser resgatado. Então, com a ajuda da Torre, Beca monta um grupo para descer até a parte mais profunda da névoa. Nem ela nem ninguém sabe o que será encontrado lá embaixo. Além disso, qualquer contato que eles tenham com a névoa pode matá-los. O grupo então é composto por Beca, por Rato, por Gonzalo - homem extremamente forte e bom com armas, Bug - uma teleportadora e Idris - funcionário da Torre que tem que coletar material para pesquisas futuras. 



O mundo criado pela autora é incrível! Em uma época que temos distopias similares por todos os cantos, a autora conseguiu nos trazer algo inovador! Eu fiquei bastante surpresa com a criatividade que eu ia vendo com o passar da leitura, temos uma realidade e uma cultura completamente novas em pleno Rio de Janeiro, que no livro é Rio Aires é a língua é uma mistura de português com espanhol. 

Os personagens são bem desenvolvidos, a Beca é forte quando precisa ser, ela é quem sai para procurar os objetos, não seu pai ou seu irmão, mas ela, uma mulher! #girlpowerforever Ela é corajosa, sabe lidar com armas e cortar Rato quando ele passa dos limites. Falando em Rato: que enigma! Ele é aquele cara malandro, que gosta de falar bobagens e dar em cima da mulherada, mas por trás disso tem algo muito maior, ninguém nunca sabe quais são as reais intenções dele. Emir, o atual líder da Torre também é uma incógnita, mas não gostei dele desde o início, que cara arrogante!

Este livro me fez ir muito além, pude comparar o que se passa nele com nossa realidade atual. Seres humanos ainda preferem pensar em si mesmos do que no bem da maioria. Existem favelas e prédios inabitáveis onde pessoas são obrigadas a viver enquanto existem aqueles que moram no luxo da Torre. Ou seja, o mundo está praticamente acabado, mas o ser humano insiste em manter uma hierarquia para continuar com seus privilégios.  

Eu fiquei muito curiosa sobre como a névoa surgiu e o motivo dela não ir embora. E as explicações sobre isso conseguiram me surpreender e me deixar satisfeita, como toda a narrativa, diga-se de passagem.

A escrita da autora é bem dinâmica! Ela nos trás ação e aventura do início ao fim do livro! E, para minha felicidade, na terceira pessoa. Esse livro não é único, pois fica claro para nós que haverá uma continuação, mas os mistérios revelados nesse volume são desvendados até o final do livro, então não se preocupe, você não ficará se descabelando até o próximo volume chegar. Sim, recomendo esse livro para você e espero que o aprecie tanto quanto eu!

Nos acompanhe nas redes sociais!
Viu algum erro neste texto? Entre em contato!
bloglivrosecores@gmail.com


8 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Ainda não não conhecia o livro, mas uau! Sua resenha me deixou extremamente curiosa e interessada! Parabéns!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir
  2. Olá, poxa que livro interessante! Já havia gostado da capa e adorei o enredo criado pela autora, bem diferente e criativo. Vou anotar aqui, pois fiquei bem curiosa. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Roberta, que bom que você gostou da escrita da autora e da história em si.
    Infelizmente, pra mim, não funcionaria... Não conseguiu me chamar atenção.
    Dessa vez passo.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  4. Parece ser uma boa leitura, e fiquei curiosa em como é abordada a questão da hierarquia... tinha visto esse livro da Giz mas na época do lançamento não tinha prestado muita atenção nele...
    bjs...

    ResponderExcluir
  5. Oi, a capa do livro é bem bonita, mas a premissa do livro não conseguiu chamar a minha atenção e mesmo você gostando da historia e tendo gostado da escrita, para mim, não iria rolar, por isso, não leria.
    bjus

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia a obra, mas fiquei bem curiosa para saber mais sobre essa personagem forte. E se o livro é bom mesmo, é ótima que haja uma continuação. Anotei a dica para ler assim que possível.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  7. Serio e julgando pela capa nem iria dar chance pro livro, mas o ler sua resenha fiquei intrigada, adoro o genero vou pesquisar e ler, amei a sua resenha, vc sabe quantos livros são nesse "serie"?

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, e como gosto de distopia e você disse que a autora saiu da mesmice, fiquei interessada. Obrigada pela dica!
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir