07 dezembro 2015

Resenha: Eu Vejo Kate - Cláudia Lemes.

Eu Vejo Kate
Autor: Cláudia Lemes.
Páginas: 352.
Editora: Empíreo.
A HISTÓRIA RECOMEÇA
Há um ano, Blessfield, uma pacata cidade do interior da Flórida, enterrou 12 mulheres vítimas do violento e cruel serial killer Nathan Bardel. Ele foi julgado, condenado e morto. Mas antes que as feridas da cidade pudessem cicatrizar, um novo assassino em série surgiu. Mais violento. Mais cruel. Usando o mesmo método que seu antecessor. E ele tem uma obsessão: ela
ALVO NA MIRA
Kate é uma escritora imersa na produção da biografia do assassino em série Nathan Bardel. Enquanto ela mergulha de cabeça na sombria vida do serial killer, ele próprio passa a acompanhá-la vivenciando as experiências conturbadas de sua biógrafa. À medida que se aprofunda nos mistérios de Bardel, Kate desperta outro assassino. Ela não sabe, mas sua vida corre perigo.
SERIAL KILLER X SERIAL KILLER
Desde que Kate decidiu escrever a história de sua vida e de seus assassinatos, Nathan Bardel percebeu que mesmo depois de morto, poderia acompanhá-la. Ele vê Kate. Ele lê Kate. Ele a decifra enquanto ela o investiga. Quando Nathan descobre que um novo assassino está imitando seu método e assassinatos, fica furioso. Aquilo tudo lhe pertencia, foi sua criança e ninguém estava a altura de copiá-lo. Agora ele tem uma nova meta: encontrar o imitador.
CAÇADOR DE MONSTROS
Um agente especial do FBI que tem a capacidade de observar a cena de um crime e definir o perfil do criminoso, Ryan é um dos melhores profilers do país. Mas toda sua experiência será colocada à prova na busca pelo serial killer que não deixa pistas. Expert em Bardel, e envolvido com Kate, o detetive com um passado sombrio se vê mais uma vez numa investigação que pode terminar de forma trágica.

Eu Vejo Kate, da Cláudia Lemes, foi um livro pelo qual me interessei assim que lançou. Eu adoro suspense/romance policial, então assim que li a sinopse, fiquei enlouquecida e coloquei a obra no topo da minha lista de desejados. Quando surgiu a oportunidade de participar do book tour, eu não pensei duas vezes e me inscrevi. Talvez foi essa expectativa toda que fez com que eu me decepcionasse tanto com a obra. 

Tudo começa com Nathan Bardel. Ele é um serial killer que estuprou e matou doze mulheres. E agora ele está morto. Sim, morto. Ele começa narrando o primeiro capítulo. Ele vê Kate desde que ela decidiu começar a escrever um livro sobre a vida dele. Nem ele nem o leitor sabem porquê ou como ele está ali. 

Kate é uma escritora que está obcecada por Nathan Bardel. Pesquisando sobre a vida (e morte) dele, ela decide entrar em contato com Ryan Owen, um profiler que ajudou na caça e prisão do assassino. 

Quando Kate recebe uma carta ameaçando-a para que ela fique longe de qualquer coisa relacionada à Bardel e uma vizinha sua é estuprada e assassinada, nossa protagonista percebe que há muito mais envolvido nessa história. Há outro serial killer? Kate é a vítima ou a culpada?


Eu estava muito otimista com esse livro, tanto que quando ele chegou aqui em casa eu fiquei muito feliz em ter que passar ele na frente de outros da fila (por causa do prazo para leitura do book tour). Mas, eu estava esperando algo diferente do que li. Eu esperava encontrar assassinatos de um imitador inteligentíssimo e difícil de encontrar. Imaginei uma mocinha destemida. E me decepcionei.

Todo mundo é um tanto obcecado por alguma coisa. Kate não é apenas autodestrutiva (como ela mesma e outros personagens a descrevem), mas "fraca" e submissa. O ex-namorado dela (que já está morando com outra mulher e é um imbecil) aparece no apartamento dela e ela transa com ele. Ela sabe que ele não a ama, ela sabe que ele tem outra, ela nem sente prazer. Mas ela é autodestrutiva, então está "tudo bem". Depois disso, ela mal conhece Ryan Owen e logo depois já se sente apaixonada.

Foi um livro que demorei a ler. Só depois da página cem é que o assassino imitador aparece. A essa altura, eu já pensava em desistir da leitura, mas queria descobrir quem era o novo vilão. Mas aí surge a outra decepção: quando, na primeira descrição do perfil da criatura, eu já descubro a identidade dele.

Acredite quem quiser, mas o único personagem que cresce ao decorrer das páginas é o fantasma do Bardel. Ele consegue estar no lugar que quer e vai nos descrevendo o que as pessoas sentem e pensam. Ele já não é mais tão cruel quanto poderia ser. Ele até torce pela nossa mocinha.
Sim, nós odiamos mulheres, porque elas são, sem dúvida, o elo mas fraco na corrente, a causa de todo o mal do mundo, a razão pela qual  todos nós sofremos muito. 
Para as últimas cinquenta páginas, não encontro outra palavra que não seja "enrolação". Já sabíamos quem era o assassino e não havia mais o que desvendar. Mas, essas páginas foram dedicadas à prisão do culpado. 
E agora que eu sei quem o assassino é, eu sei que Kate não tem a menor chance.
Dei 2 estrelas para a obra, porque a autora escreve bem. Esse livro tinha tudo para dar certo. Pena que, para mim, não funcionou. Vi que muitas pessoas deram notas boas no Skoob, então confiram lá e decidam por si mesmos se vale a pena ler. Beijos <3 

Obs.: Esse é um livro bem pesado. Contém cenas violentas e de estupro.  

Nos acompanhe nas redes sociais!
Viu algum erro no texto?
Envie um e-mail para bloglivrosecores@gmail.com
Livro recebido através de book tour.

3 comentários:

  1. Oi Ro, fazia tempo que não passava por aqui e nossa, mudou de novo! Tá lindo! Eu amo esta cor ♥ Estou louca para ler este livro, eu sou a próxima?! Não lembro hahaha quando ler discutimos sobre ^^

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Oi Ro, tudo bem? Que pena que você não curtiu :( Eu realmente adorei o livro. Mas eu o vi de uma forma diferente da maioria dos leitores. Me foquei mais na questão da crítica, do machismo, dos problemas que as mulheres passam. Acho que se eu tivesse lido como um romance policial só, talvez não teria gostado tanto, não sei. Eu tinha receio de ler, por que achei que podia não curtir, mas adorei. E a premissa é ótima né?
    Mas literatura é isso mesmo. As vezes funciona para um e não para outro. E que bom que é assim :)
    Beijoooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu conheço o cara que fez a arte da capa! <3
    O enredo é foooda! quero muito ler!
    | Sorteio do livro Banksy |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir