12 agosto 2015

Resenha: A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart.

Título: A Mais Pura Verdade - The Honest Truth.
Autor: Dan Gemeinhart.
Páginas: 224.
Editora: Novo Conceito.
Compre:
SKOOB


Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça.“A Mais Pura Verdade” é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

 A Mais Pura Verdade eu recebi da editora Novo Conceito, depois que postei as minhas primeiras impressões sobre os primeiros capítulos. Eu gostei bastante do livreto que veio, achei que essa seria uma história emocionante e que me conquistaria, mas me enganei. Apesar de ser um livro bem escrito, achei-o um tanto apelativo. 

A obra nos conta a jornada de Mark, um menino de doze anos que acabou de descobrir que seu câncer voltou. Mark vive com os pais e tem uma melhor amiga chamada Jess. Além disso, Mark tem um sonho: escalar uma montanha. E agora, que ele pensa que vai morrer logo, ele decide realizar seu sonho. Junta várias coisas que ele acha que serão necessárias (como dinheiro, câmera, cobertas...), pega seu cachorro Beau e parte. 

Do outro lado, vemos os pais de Mark sofrendo e esperando notícias suas, assim como Jess, que sabe para onde o amigo foi, mas fica na dúvida entre contar o paradeiro do amigo para os pais dele ou não. 


A leitura desse livro é rápida, pois a linguagem é fácil, assim como a narrativa do autor. O protagonista é dedicado e por mais que pense em desistir várias vezes, ele nunca desiste de fato. Além disso, ele sempre tem seu cão ao lado e Beau é o cachorrinho que todo mundo gostaria de ter.

O problema pra mim foi que pareceu que o autor tentou de todas as formas fazer com que o leitor se emocionasse e isso tornou várias passagens do livro um tanto forçadas. Apesar de ver que a situação era difícil e que vários personagens estavam tristes, eu não me emocionei nenhuma vez, nem vontade de chorar nem nada. Isso fez com que eu desse apenas três estrelas para a obra.

A diagramação está muito linda, fiquei apaixonada pelas páginas, pelos detalhes, tudo! E também achei que a capa combina com o enredo! A editora caprichou de verdade, assim como com os outro livros dela que eu li.

Podia senti-lo tiquetaqueando na minha mão. Tique taque. [...] Isto é uma coisa que eu não entendo: por que as pessoas gostam de levar consigo uma coisa que as faz lembrar de que suas vidas estão indo embora?

Claro que eu acho que cada um deve tirar as próprias conclusões sobre a obra, mas esse não é um livro que eu recomende, a menos que você goste muito de sick-lit

Beijos <3  

7 comentários:

  1. Parece ser um livro no mínimo interessante. Não gosto de autores que apelam um pouco para você se emocionar, me senti com um coração de pedra quando li A Culpa é das Estrelas e não chorei nenhuma vez D:
    Beijão!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
  2. Sempre me emociono muito em livros assim, mas como você falou o autor tem que fazer as coisas fluírem naturalmente sem forçar as emoções ao leitor.

    XoXo

    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Concordo que esse livro não me parece um dos mais interessantes.
    Mas acho que vou ler só por curiosidade haha

    http://saracavalcantes2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Roberta!

    Pra mim esse livro é daquele tipo q se lê apenas uma vez. E o que mais gostei foi que o final não foi esperado. Podendo acontecer de tudo com o garoto. Afinal, a história não era sobre a doença e sim sobre ele e sua viagem. Concluído isso o livro deu um fecho. Mas também não me emocionei assim, e como não gosto de cachorro Beau não me comoveu. Acho que comoveria que gosta mais de cachorro. Sou do Cat Team kkkkkkkkk.

    Bjoss
    http://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Ro. Vou me intrometer aqui kkkkk
    Eu comecei a ler esse livro por causa de um projeto literário, mas ai outros livros surgiram e eu deixei essa leitura um pouco de lado.
    Depois de um tempo decidi que iria abandoná-lo e percebi que não fui a única a tomar essa decisão.
    Não pretendo retornar com a leitura e agora, depois de ler sua resenha, acho que tomei a decisão certa.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu comecei a ler o livro pra passar o tempo e achei a campa bonitinha e tal. Maaaaaas o livro não foi um daqueles que "me tocou profundamente", achei ele OK, e acho que existem melhores nesse gênero. Em relação ao trabalho da editora com diagramação, cor e espessura das páginas, eu gostei, o livro externamente é muito fofinho. Entretanto, a leitura não me acrescentou muito. :*

    ResponderExcluir
  7. Acho que apesar de todos comentários um pouco negativos... ainda penso em ler esse livro, acho que é porque gosto muito de livros com protagonistas crianças ^^ então darei uma chance.

    ResponderExcluir