22 fevereiro 2015

Resenha: No limite da atração (#1) - Katie McGarry


Título: No Limite da Atração (#1 Pushing the Limits)
Autora: Katie McGarry
Editora: Verus
Lançamento: 2013
Nota: 5/5 estrelas

Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada. Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. “No Limite da Atração” é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que, juntas, tentam desesperadamente se encontrar.


Olá pessoas!

A resenha de hoje vai para um dos melhores romances que li, e que comparo com outro livro que adoro, “Um Caso Perdido”, da Colleen Houver. Como sempre, vai ser difícil falar sobre um livro que gostei tanto, mas juro que vou tentar ;)

Sim, o livro é um romance, e tem foco nos personagem principais, Echo e Noah. Mas há tanto drama envolvido... E não daquele tipo de drama chatinho; pelo contrário, o leitor fica mais e mais curioso para saber o que aconteceu com a Echo para ela ter as cicatrizes em seus braços – um momento que ela não se lembra, e que ninguém próximo concorda em contar. Todos acreditam que ela lembrará quando sua própria mente se sentir pronta, algo que ela discorda; para Echo, saber a verdade pode livrá-la dos pesadelos terríveis que tem toda a noite, e que a incapacitam de dormir. Ela odeia sua madrasta, a quem culpa pelo divórcio de seus pais, e tenta ser uma garota perfeita para seu pai, tentando conquistar seu amor – já que a única pessoa que a amava, seu irmão mais velho, morreu no Afeganistão, servindo na Marinha.

Então temos Noah; e que rapaz! Ele é inteligente, mas faz parte do grupo excluído. Lindo, gostoso e... Com uma tendência a se drogar. Mas ele tem seus próprios problemas: seus pais morreram em um incêndio dois anos antes, e seus irmãos mais novos só sobreviveram porque ele os salvou. Vivendo no sistema adotivo ao lado de seus dois amigos Isaiah e Beth, tudo que ele deseja é se formar no colégio, arrumar um emprego e ganhar a guarda de seus irmãos, para ter sua família de volta.

Com a chegada de uma nova terapeuta no colégio, sra. Collins (que é uma figura, diga-se de passagem), e um programa piloto de terapia, Echo e Noah acabam se aproximando. Como duas pessoas tão quebradas poderiam dar certo juntas?

A autora tem um bom mérito na história. Não apenas criou um excelente desenvolvimento do enredo, como também de seus personagens. Como a boa moda dita, os capítulos são intercalados entre Noah e Echo, o que nos permite vislumbrar melhor as personalidades deles. O que me atraiu na Echo foi que ela, apesar de meio covarde, mostra muita força dentro de si, a fim de continuar sua vida. Tudo que ela deseja é normalidade, algo que suas amigas apoiam, e tentam ajudá-la. Vemos a evolução de uma Echo que se fechou após o incidente que lhe deixou cicatrizes, para alguém que passa a fingir para todos à sua volta, e depois, passa a querer satisfazer a si mesma. Isso, por si só, me fez adorar a personagem.

E o Noah? Ele é apaixonante. Mesmo com todos os seus defeitos, ele é alguém que sabe o que quer, e luta por isso. Gostei de ele não ser aquele babaca que só aos quarenta e cinco do segundo tempo descobre seus sentimentos; pelo contrário, através dos capítulos focados nele, percebemos que ele está muito mais ciente de que gosta da Echo, do que ela dele. Ele luta para conquistá-la, mas ao mesmo tempo teme que esteja perdendo o foco no amor que sente pelos seus irmãos mais novos e no desejo de se reunir a eles.

A história é incrível. Acho que isso é o máximo que posso falar. Todos os personagens secundários que aparecem ajudam em deixar a história interessante, tendo, inclusive, um segundo livro que fica na Beth, amiga da Noah.

Não consegui falar muito, mas fica minha indicação: leiam, e não vão se arrepender :)

Até logo! o/


Izandra.



15 comentários:

  1. E desde o início da postagem que eu só consigo pensar em que raios foi que aconteceu causando as tais cicatrizes o.O quero saber u.u já até pesquisei o preço enquanto lia a resenha hahaha tá em conta, acho que vou comprar na Saraiva. Kissus^^

    horadochoco.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha
      Pois é, Ivy, a curiosidade é muito grande, e a resposta, chocante! Graças aos céus a autora não botou uma solução besta, ou teria estragado o livro xD

      Excluir
  2. Me interessei um pouco pela história. Parece ser boa e com mistérios.
    Seu blog é lindo. Parabéns.
    bjs bjs
    formula-amor.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sofia!

      Que bom que gostou! E o livro vale a pena ser lido :)

      Excluir
  3. Olá!

    Já tinha ouvido falar nesse livro, sempre com tom positivo. Vou anotar sua sugestão para, quando eu tiver uma oportunidade, lerei.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com
    Facebook/resenhaeoutrascoisas

    ResponderExcluir
  4. Oi Izandra tudo bem ?

    Também já li este livro e gostei bastante só não dei nota máxima porque achei o final simples demais para tanto sofrimento dos dois, e apesar do livro ter uma cara meio hot eu achei que ela não mostra o que o livro realmente tem de bom né, muitas pessoas não gostam de livro hot e por ver essa capa pensam isso.

    Beijos
    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andressa!
      Já no meu caso, eu gostei por conta do final simplificado rs
      Mas ao ler os outros livros, temos um vislumbre da vida da Echo e do Noah; além disso, há um outro livro contando sobre a viagem deles ;)
      E eu até que gostei das capas, pois bem ou mal, o casal reflete os personagens principais (já vi umas que não tinham nada haver com a descrição). Mas concordo contigo: passa mesmo um tom hot, quando o livro não se trata disso ^^

      Excluir
  5. Oi Izandra! Tudo bem?

    Sou loucooo para ler esse livro :3 :o Ele parece o tipo de livro que eu gamo, adoro e viajo na leitura assim como aconteceu em Belo Desastre! Ele já está na minha lista desde que eu recebi um marcador do mesmo da Verus, e espero ler em breve!

    Parabéns pela resenha ficou ótima ^^

    Abs! Seguindo aqui <3

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jhonatan!
      Que bom que gostou da resenha!
      E se curtiu Belo Desastre, vai curtir mais ainda esse aqui :3
      Vou seguir de volta! ^_~

      Excluir
  6. Izaaaa, eu sou chata, hahahha, você sabe né???? KKKK
    Então.
    Primeiro, acho que o livro é meio hot né??? Pelo título e pela capa parece, apesar de você não ter falado muito sobre. Então o livro me perde aí.
    E mesmo que ele não tenha esse lado, segundo (eu sou cricri, não tem o que fazer, hahahha), não gosto de personagens frescos, com excesso de futilidade. Mas também não gosto de personagens muito sofridos. Eu nunca consigo comprar o sofrimento deles quando é em excesso. Entendo que cada um tem sua dor e cada um lida com ela de um jeito, mas como já vivi muitas coisas (apesar dos 21 anos só), é muito difícil eu achar que algo é tão sofrido assim.
    Mas gostei da resenha e se eu não fosse tão chata, eu gostaria de ler ;)
    Que bom que você gostou tanto :)
    Beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gih!

      Hahaha Sei bem que nós duas somos meio cricris!
      Mas o livro não tem hot não, pois é YA. Tem umas cenas bem sensuais para descrever um beijo, mas fora isso, nada muito pesado.
      E do sofrimento... Hum, eu detesto livros de "sofridos", especialmente com protagonistas que tem doenças e tals.
      Mas não acho que "No limite da Atração" entre nesse gênero. Apesar do q parece na descrição, tem muito mais momentos divertidos do q sofridos ;)

      Excluir
  7. nao gosto muito de romances, ja li varios mas ainda nao achei aquele romance ^^ gostei muito de sua resenha:)

    http://www.jacknuit.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adoro romances! E misturados com mistérios ficam muito melhores! Eu vim aqui pelo post do segundo livro e confesso que achei esse primeiro mais interessante. É uma tendência da autora personagens drogados né? Só pode haha e parece que as duas personagens femininas dos dois primeiros livros tem uma personalidade bem diferentes. Ou foi impressão minha?
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Não é o tipo de livro que me atrai. Acredito que o gênero que não faz o meu estilo mesmo. Mas, sem dúvidas, para quem gosta dessa pegada irá adorar.
    Ótima resenha

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir