29 janeiro 2015

Resenha: A Joia - Amy Ewing


Título: A Joia (#1 de Cidade Solitária)
Autora: Amy Ewing
Editora: Leya (selo Fantasy)
Lançamento: janeiro/2015
Nota: 5/5 estrelas
Viver com a realeza pode não ser tão nobre e glamuroso quanto parece...
Joias significam riqueza, são sinônimos de encanto. A Joia é a própria realeza. Para garotas como Violet, no entanto, a Joia quer dizer uma vida de servidão.
Violet nasceu e cresceu no Pântano, um dos cinco círculos da Cidade Solitária. Por ser fértil, Violet é especial, tendo sido separada de sua família ainda criança para ser treinada durante anos a fim de servir aos membros da realeza.
Agora, aos dezesseis anos, ela finalmente partirá para a Joia, onde iniciará sua vida como substituta. Mas aos poucos, Violet descobrirá a crueldade por trás de toda a beleza reluzente... E terá que lutar por sua própria sobrevivência.
Quando uma improvável amizade oferece a Violet uma saída que ela jamais achou ser possível, ela irá se agarrar à esperança de uma vida melhor. Mas uma linda e intensa paixão pode colocar tudo em risco...


Olá pessoas!

Trago hoje a resenha de um livro polêmico que me deixou com a cabeça pirada, mas que aconselho vocês a não lerem; ao menos, até a autora lançar o segundo livro, que só está prometido para outubro deste ano. Some o prazo para lançamento em território brasileiro, e vocês terão uma síncope causada pela ansiedade, como eu estou tendo no momento!

É uma obra “polêmica” porque só existem leitores em duas categorias: os que amam e os que odeiam. Dentre os que tiveram uma péssima impressão, indico o Parafraseando Livros, cujas resenhas feitas pela Samara têm o meu completo respeito (e, no geral, temos gostos parecidos, embora nesse caso tenhamos tido o oposto rs).

Eu havia prometido a mim mesma que não leria mais séries que ainda estão sendo escritas. Não digo nem pelo tempo de lançarem no Brasil – leio em inglês mesmo –, mas pelo autor ainda não ter escrito. Fico nessa espera maldita, sempre lembrando do livro com o passar dos meses, pensando no que acontecerá... E 99% das vezes (o 1% de exceção foi o Rick Riordan), eu me decepciono com a continuação. Parece que o autor não aguentou a pressão e não conseguiu fazer uma boa sequência, sabe? Senti isso com “A escolha”, da Kiera Cass, “Toda sua”, da Sylvia Day, “Divergente”, da Veronica Roth... Enfim, tem uma lista de livros que esperei ansiosa pela continuação e quebrei a cara -.-'

Mas estou divagando. Vamos voltar ao foco: “A Joia”, da Amy Ewing, é um mother-fucking de estourar a cabeça. O livro é uma distopia escrita em primeira pessoa, sob o ponto de vista de Violet, nossa protagonista. Infelizmente não tem troca de POVs, o que é uma pena, mas não tira os méritos da obra.

A autora construiu uma sociedade interessante, onde as mulheres parecem ser o centro de tudo. Vi algo parecido em “Joia Negra” da Anne Bishop, mas enquanto esse segundo era realmente pesado, em “A Joia” as coisas são mais leves – aparentemente. Criou também um traquejo social na realeza digno de George Martin em “A Guerra dos Tronos”. Estou usando muitas referências? Está difícil me concentrar em escrever essa resenha, confesso; mas se deixasse para depois, poderia deixar de apontar coisas que considero importantes.

A personalidade de Violet, por exemplo. Ela é muito forte e determinada, e na maior parte do livro eu esquecia que ela tinha apenas dezesseis anos. Daí, quando ela fazia alguma cagada-master, eu precisava me lembrar que “ei! Ela tem só dezesseis anos, faz parte!”.

E a autora soube construir isso muito bem: as dúvidas e indecisões de Violet, a forma dela de agir.... Tudo foi muito coerente. Até mesmo a liberação das informações essenciais da história foi extremamente importante para a ordem em que as cenas ocorriam, o que deixou o final espetacular (do tipo que, inicialmente, não se previa até saber de determinado fato) e me deixou me remoendo para ler a continuação – ainda não escrita pela autora, repito.


Temos personagens incríveis, como Lucien, a “dama de companhia” da Eleitora (que é a, digamos, a rainha), e Annabelle, uma garotinha muda que é a dama de companhia de Violet. Temos a Duquesa dos Lagos, “dona” de Violet; Raven, melhor amiga de Violet e que também é uma substituta; e temos Ash, o garanhão da parada que arremata sem aviso o coração de Violet. Todos são incríveis, e todos são muito bem apresentados no decorrer do livro, fazendo difícil que os leitores não se afeiçoem a eles.

Mas nada é perfeito; apesar de eu ter dado a maior nota ao livro, tenho críticas a fazer (como sempre). Teve fios soltos – muitos. Daí a esperança de que, em uma continuação, essas informações faltantes sejam acertadas. Mas já avisei no início que perdi a esperança quanto à continuações, não? Pois é. Para dar um exemplo, é bem explicado no livro o motivo de existirem as substitutas – garotas que vão carregar e parir os filhos das mulheres de sangue real –, mas não explica porque não existe nada parecido com os homens, ou se sequer foi tentado. Achei um machismo digno de idade média, onde se culpava a mulher por não engravidar, quando muitas das vezes, a culpa estava na genética masculina... E dado ao arcabouço médico que a autora criou na sociedade do livro, esperava, ao menos, uma explicação de que tentativas e análises haviam sido feitas. Mas enfim...

Tenho a impressão de que não disse nada na resenha, então, me desculpem. Mas com um livro como esse, fica realmente difícil me expressar de forma coerente. O que posso fazer é indicar a leitura e, se o fizerem antes de outubro, saibam que vão ter a mesma ansiedade bizarra que estou tendo no momento, na espera da continuação ;)

Até logo! o/

Izandra.


16 comentários:

  1. Olá Izandra!
    Eu amei a capa e sabendo que é distopia me apaixonei mais.
    Quero MUITO ler! Vou anotar aqui, achei por R$30,00, então dá para esperar uma promoção até outubro! HAHAH
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alessandra!
      Deixa na lista de leitura sim, e leia quando tiver a continuação, que você vai amar! ;)

      Excluir
  2. Oie! A capa é muito bonita, parece ser muito bom o livro!
    bjs, comenta nessa resenha ajudaria muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2015/01/o-duque-e-eu.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naylane!
      Também fiquei encantada com a capa, até porque me lembrou "A seleção", da Kiera Cass rs

      Excluir
  3. Oie.

    Nossa fiquei muito tempo sem passar por aqui, mas amei voltar.
    Acho essa capa super linda e espero ler um dia. Gosto demais de distopia e por isso espero amar a leitura

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      Eu também adoro distopias, principalmente as que não se utilizam apenas de lutas e sobrevivência (tipo "Jogos Vorazes"). E leia sim! Só deixei o aviso para depois nao ter blogueira me xingando por ter indicado o livro e deixado-as esperando a continuação xD
      Hahaha

      Excluir
  4. Entendo o porque de você preferir ler com a continuação já a postos. Ainda mais pra um livro assim, com tantas pontas soltas, a curiosidade pra saber o que vem a seguir é extrema, e as vezes tem detalhes que até chegar o próximo livro a gente acaba esquecendo né. Ainda não conhecia esse livro, adorei saber mais dele! :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem post novo no blog sobre Readgeek, vem descobrir o que é!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! O livro foi lançado agora em janeiro pela Leya, então, é bem recente ^^
      E nem fale! Toda vez que vou ler a continuação de um livro que finalmente saiu, me sinto na obrigação de reler os anteriores, justamente pra não perder nenhum detalhe rs
      Sabe o que é pior? Metade das vezes eu pego furos, como se o próprio autor nao tive relido sua obra antes de escrever a continuação -.-'

      Excluir
  5. dgfuiwsadvuic Sei como é ter que esperar
    E concordo com você sobre a pressão sobre os escritores. Acho eu que eles deveriam escrever todos os livros da série e depois ir lançando, por que assim não demoraria tanto!
    Eu já falei isso pra mim de não ler série (trilogia também) até que tenha pelo menos dois livros; mas na hora eu fico muito ansiosa pelo pãozinho novo e pam! Já estou lendo. Teve uma vez que comecei a ler um livro sem saber nada dele (o que AS vezes é bom) ai super de boa na leitura e quando o livro acaba eu fico tipo: WHATS?!
    O livro era uma trilogia e só tinha o primeiro livro, como esse que você citou.
    E falando sobre 'A joia', gostei muito da resenha, eu vi de cara que era distopia quando li a sinopse. Eu vou colocar na minha lista de leitura. Mas acho que vou ler lá pra setembro... entende o que quero dizer, né? kdbhakb
    Bom, ótima resenha!

    Bjs, Palavras Antigas - PA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thalia!
      Pois é, fica difícil se segurar em ler aquele livro que a capa e sinopse já atraiu... E só pensamos na continuação na hora em que terminamos o livro e ficamos com um "como assim?!" em mente rs

      Excluir
  6. Izandra me responde uma coisa por favor, já saiu pela LeYa este livro? eu estava de olho nele e não ouvi nada sobre o lançamento. Me avisa pleaseee!!!


    Beijos
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  7. Oi, Izandra! Fiquei muito curiosa pra ler esse livro. Já tinha me interessado pela sinopse e agora mais ainda. Mas acho que vou seguir seu conselho e deixar pra ler mais perto de lançarem a continuação!

    Beijos,
    Camila | www.lendoporai.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila!
      Faca isso sim, ou vai morrer de ansiedade, como eu rs

      Excluir
  8. Oi Ize!
    Confesso que eu estou impressionada com a sua nota. Quando vi que a LeYa ia lançar A Joia por aqui, fui procurar mais informações nas interwebs.
    Além de achar a capa impressionante, e de ficar muito feliz que a LeYa vai mantê-la por aqui, o Goodreads me contou que boa parte dos resenhistas estrangeiros que eu sigo não curtiram nem um pouco o livro. Inclusive alguns nem chegaram a terminar. O.O Então, eu me surpreendi com a sua empolgação.
    Respeito demais sua opinião em muitos livros, mas como eu estava (e ainda estou) um pouco com o pé atrás, achei que sua resenha ficou me devendo um pouco de informação sobre o plot da história em si. Total te entendo que quando a gente curte muito um livro (ou não) fica difícil de organizar as ideias e efetivamente construir uma resenha "lógica". Eu sei, eu também costumo fazer isso. ^.^
    Vamos precisar de um California Coffee para você me explicar essa sua nota direito!
    E se você tiver curiosidade, dê uma lida na resenha da Khan, lá do Goodreads. Eu simplesmente ADORO o jeito ácido e até cruel que ela escreve suas resenhas. https://www.goodreads.com/review/show/1091760192
    o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sam!
      Realmente, explicar "ao vivo" vai ser mais fácil que por aqui rs
      Vamos marcar outro CC pra depois ^^
      Olha, eu ando percebendo que meus gostos não vem batendo com resenhistas estrangeiros rs
      Sério, vejo uma penca de elogios no GR para livros da Cassandra Claire, por exemplo, sendo que tentei ler "Instrumentos Mortais" e abandonei, de tão ruim que achei -.-'
      O gosto do exterior parece estar mais ligado a ter seres mágicos e aventuras, ao invés de uma série bem construída.
      Curiosidade: dessas resenhistas que você acompanha, e que não gostaram de "A Joia", elas leram por acaso "Joia Negra", da Anne Bishop? E gostaram?
      Eu sei que você já leu, então, fica mais fácil dizer que lembra muito, mas sem as questões das pedras de poder (embora tenha outra coisa de poder envolvido).
      A questão de"A Joia" é que vai depender da continuação. Se a autora s fizer bem, será magnífica. Se fizer cagada e seguir um ritmo morno de revolução no poder (como na série "A Escolha", da Kiera Cass), vai ficar fraquíssimo =/

      Excluir
  9. Geentee, alguem pode me informar quando vai lançar o proximo? Fiquei chocada com o final, estou ansiosa pela continuação. Preciso saber, pelo menos a previsão... Amei esse livro, estou sem palaavras ��❤️

    ResponderExcluir