25 novembro 2014

Resenha: Herdeiro da Névoa - Raquel Pagno.


Inácio Vaz mal podia acreditar no sonho que se realizava. Acabara de chegar à Paris com algumas moedas no bolso e a grande vontade de se tornar advogado. Depois de ser surpreendido pela beleza de Chloé Champoudry, enquanto esperava pela entrevista que lhe garantiria a bolsa de estudos na Sorbonne, e encantado pela garota dos cabelos de fogo, trocara equivocadamente Direito por Artes, para poder estar em sua companhia. Desesperado por ter abdicado do sonho, Inácio descobre que seu nome não consta em nenhuma das listas de matrículas. Disposto a esclarecer o mal entendido, não percebe que seus documentos foram trocados. O rosto na foto é seu, mas o nome, de outro. Stephen, seu colega de quarto, tenta convencê-lo a assumir a nova identidade. Os documentos pertencem ao herdeiro da dinastia Roux, um milionário desaparecido sem deixar rastros. Preso em um leque de mentiras e suspense, Inácio trava uma luta com sua própria consciência, enquanto apaixonado, procura pela garota que lhe roubara o coração.


Título: Herdeiro da Névoa.
Autor: Raquel Pagno.
Editora: Chiado Editora.
Páginas: 257.
Classificação: 3,5/5.

"Herdeiro da Névoa" foi um livro que recebi por meio da parceria com a Chiado Editora, que é uma editora internacional. Eu o escolhi por ser de uma autora nacional, a Raquel Pagno. O livro faz parte da coleção Viagens na Ficção.




Esta obra traz a história de Inácio Vaz, um brasileiro que sonhava estudar Direito na Universidade Sorbonne, em Paris. Felizmente, Inácio consegue chegar à cidade e entrar para a universidade, porém na hora de escolher para qual curso ele entraria, ele escolhe Belas Artes. E porque isso? Porque ele viu uma mulher ruiva e muito bonita, chamada Chloé Champoudry, se inscrevendo para este mesmo curso.

Inácio fica completamente obcecado por Chloé, ao mesmo tempo em que fica desesperado por ter se matriculado no curso errado. Ele procura a moça por vários lugares e quando a encontra, ela o leva até uma linda mansão e eles se entregam um ao outro (se é que vocês me entendem), porém, logo em seguida, ela some novamente.

Só Chloé habitava meus pensamentos, ocupando todo o espaço disponível em minha cabeça. O cheiro da pele branca ainda estava impregnado no meu corpo. O perfume recusava-se a sair das minhas roupas. Eu cheirava-me como um louco, tentando sorver o máximo possível do aroma de Chloé. Adormeci agarrado ao casaco que vestira naquela tarde.

Vivendo em uma pensão barata, Inácio faz amizade com seu colega de quarto chamado Stephen, que é bonito, charmoso e rico. E é este amigo que o convence a assumir a identidade de um herdeiro milionário desaparecido, chamado François Roux. Apenas depois de assumir essa nova identidade, que Inácio começa a descobrir coisas sombrias sobre o herdeiro, sobre Chloé, sobre uma seita secreta e sobre si mesmo. 

Comecei a gostar do livro quando Inácio volta a mansão onde se encontrou com Chloé no dia anterior e só encontra ruínas. Percebe que há muito tempo a mansão está abandonada e pergunta-se se está louco e se imaginou tudo o que pensou ter acontecido na última tarde.

Eu nunca imaginaria que este livro tomaria o caminho que tomou, esse lado mais sobrenatural. Conforme Inácio vai descobrindo mais coisas, os mistérios vão se desenrolando e dando um certo medo no leitor. O livro inteiro é muito tenso. Além disso, por ser narrado em primeira pessoa me deixou muito agoniada. Não gosto desse tipo de narrativa, quando nós só percebemos algo quando o protagonista percebe, só descobrimos algo quando ele descobre.

Quanto menos se acredita nas forças sombrias, mais vulnerável a elas se fica.

Outro ponto importante a destacar é que o livro é lento no início, quando Inácio está a procura de sua amada, ainda mais pela falta de diálogos. Mas, a partir do momento em que nos encontramos com personagens mais interessantes e o mistério começa a ficar mais sombrio, o livro toma inteiramente nossa atenção, mesmo que seja por nos dar medo. 

O personagem principal do livro, apesar de submisso e obcecado no início, parecia ter bom caráter. Mas, com o decorrer do livro se mostrou covarde e um tanto desonesto. O tempo todo, eu queria mostrar a ele quem eram os verdadeiros culpados e o que deveria ser feito. 

O ponto alto do livro é a escrita perfeita. Se eu não soubesse que era de uma autora do país, pensaria que era tradução de um livro internacional. Não há nenhuma gíria ou termo informal. A revisão e diagramação estão perfeitas, já que não encontrei nenhum erro. As páginas são levemente amareladas e parecem mais macias.

Fiquei muito em dúvida sobre como classificar este livro, pois fiquei dividida. Acabei dando esta nota mais por opinião pessoal mesmo e pela lentidão inicial do livro. Ele é bem escrito e merece ser lido por aquelas pessoas que gostam de obras mais sombrias com um quê de sobrenatural. Já para as pessoas um tanto sensíveis (assim como eu) não recomendo que leiam.

5 comentários:

  1. Oiee

    Já tinha visto outras resenhas do livro e justamente por esse lado mais sombrio ele não me agrada tanto pois não gosto de livros que me dá medo rsrs

    Beijos
    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu gosto de livros desse estilo. Sombrio e sobrenatural, talvez me agrade bastante.
    O enredo parece ser bom, apesar da lentidão do inicio, como você disse.
    Adorei a resenha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  3. Temos as mesma opiniões, Roberta. Achei o livro um pouco lento no começo, mas depois a leitura prende bastante, a história é incrível, e chegando no final, eu fiquei abismada com tantos segredos. Super recomendada a leitura!
    Beijo,
    http://pactoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha, já me envolvi na história só com essa renha. Adicionado na minha lista de leituras futuras.
    Bjim!
    LivreandoFacebook

    ResponderExcluir