Resenha: De repente, Ana - Marina Carvalho

28 setembro 2014

Título: De repente, Ana (#2)
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito 
Lançamento: agosto/2014
Nota: 4/5 estrelas
Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste.
Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação.
Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama.


Olá pessoas!

Conforme prometido, trago hoje a resenha de “De repente, Ana”, continuação de “Simplesmente Ana”, da autora brasileira Marina Carvalho (já resenhado aqui). Estou muito feliz de fazer essas resenhas em sequências, e queria agradecer à Roberta por ter me dado a oportunidade de colaborar com seu blog durante as últimas semanas (e espero que muitas ainda venham ^.~). Valeu, Rô! :D


Então, vamos ao livro. Tenho que dizer de cara que a resenha vai se curta, pois correrei o risco de falar muitos spoilers – mais do que a própria sinopse já diz – se me aprofundar demais. Além disso, o livro transcorre de forma bem rápida, pois pouca coisa efetivamente acontece fora do contexto em que se desenvolve.


A escrita da Marina Carvalho ainda é excelente; aliás, posso afirmar que ficou ainda melhor, por esse já ser seu quarto livro publicado. Os autores tendem a desenvolver mais maturidade na medida em que avançam em suas carreiras, isso é fato. Mas, mesmo que a Marina já fosse excelente no início, acho que sempre é possível melhorar um pouco mais, por isso, ganhou pontos :P


Nessa continuação, vemos a Ana lidando com situações muito mais pesadas que no primeiro livro. Com seu pai em coma no hospital, ela precisa assumir as responsabilidades como Rainha e, por não saber nada de política, acaba se estrepando feio. Além de pisar com um pé na jaca, a Ana faz questão de pular com os dois e ainda fazer uma dancinha xD

Falando como crítica, eu esperava mais maturidade da personagem. Tudo bem que a autora manteve, sim, a essência da Ana desde o livro anterior, mas convém dizer que dois anos se passaram, e muita coisa pode mudar nesse tempo. Só que vemos a Ana com as mesmas neuras e teimosias em seu relacionamento com o Alex e, pior ainda: mais sem noção do que nunca. Sério, aqui vou ter que soltar um mini-spoiler: a garota me recebe e-mails cheios de ameaças e resolve não dizer nada pra ninguém, seja namorado, familiar ou assessores. E, apesar de estar na posição como Rainha e dizer que não é boba, age toda inocente, como se o mundo fosse feito de flores. Que raiva que a Ana me deu a maior parte do livro, por conta de suas atitudes! >.<


Mas houve pontos bem positivos no livro, como por exemplo, termos capítulos com o ponto de vista do Alex. Isso deixou que nós, leitoras, pudéssemos compreender melhor o personagem, aprofundando o pouco que sabíamos a respeito dele. E, apesar do começo meio pacato – tirando o fato já denunciado na sinopse –, lá para os 70% do livro, a coisa engrenou de uma forma que não consegui parar de ler até terminar, pois a autora criou um clímax (ainda clichê, ok – mas qual livro hoje em dia é completamente original?) que me deixou presa até o fim.


Os pontos positivos superam os negativos, e tenho certeza que tem gente que dirá que sequer houve algo negativo. Por tudo isso, “De repente, Ana” vale a pena de ser lido, especialmente se você já se encantou pela primeira obra :)


Até a próxima! o/


Izandra.

4 comentários:

  1. Eu adorei esse livro!
    Se eu já tinha me apaixonado por "Simplesmente Ana", com esse livro fiquei completamente em êxtase, ainda mais com os pontos de vista de Alex! Concordo com você quando disse que Ana realmente continua a mesma do livro anterior: cheia de fragilidades e inseguranças! Em dois anos ela poderia ter tido uma amadurecida, né? Mas de qualquer forma, eu adorei sua resenha e a história toooda...

    Beijos
    http://estantedafer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, conhecer mais do Alex foi ótimo! Eu achava que ele era bem menos "estressadinho" pelo primeiro livro, e esse segundo me fez entendê-lo melhor :)

      Excluir
  2. Oi Iza, tudo bem?

    Que bom que os pontos positivos foram superiores, né? Ainda não li nenhum livro da Marina, mas espero poder ler em breve. Ela é uma fofa, super atenciosa. Parabéns pela resenha

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Kel! Acho que, da atualidade, ela está entre as melhores autoras nacionais viradas ao público jovem :)

      Excluir