03 agosto 2014

Resenha: Cidade da Meia-Noite - J. Barton Mitchell.

Título: Cidade da Meia-Noite - Saga da Terra Conquistada.
Autor: J. Barton Mitchell.
Editora: Jangada - Pensamento.
Páginas: 445.
Classificação: 4/5
Livro lido para a Maratona Literária 3.0.

A Terra é conquistada por uma raça alienígena conhecida como os Confederados. A população adulta da Terra desaparece de vista, sucumbida pela Estática - um poderoso sinal telepático irradiado pelos alienígenas, que reduz as pessoas a um estado de total servidão. Mas existe um grupo imune aos seus efeitos: as crianças e os adolescentes. Enquanto isso, Holt Hawkins, um caçador de recompensas, tem como alvo Mira Toombs, uma astuta caçadora de tesouros com a cabeça a prêmio. Não demora muito para Holt capturar sua presa, mas a forte atração que surge entre os dois não é algo com que ele contasse. A queda de uma nave dos Confederados nas proximidades do lugar onde Holt e Mira estão acampados revela uma surpresa - a única sobrevivente é uma garotinha que não se lembra de mais nada a não ser do próprio nome: Zoey. Logo eles descobrem que todo o exército alienígena está à procura de Zoey. O que ela tem de tão especial? Será que os poderes dessa garota, por mais improvável que isso possa parecer, são a chave para deter os Confederados de uma vez por todas?

Olá, como vocês estão?
"Cidade da Meia-Noite" parecia o livro perfeito para mim. Tudo batia: a capa, a sinopse, a narrativa em terceira pessoa e o autor masculino. Eu o li, adorei o livro, mas mesmo assim não correspondeu as minhas expectativas. 

O livro se passa em uma versão futurística dos Estados Unidos. A Terra foi conquistada por aliens: os Confederados. Quase toda a população adulta foi hipnotizada pela Estática, sinal telepático emitido por esses aliens. Ou seja, quando uma pessoa está quase completando seus vinte anos, deixa de ser ela mesma, deixa de falar, de ouvir e, segue para onde estão os Confederados mais próximos. Resumindo, as partes do mundo que não estão sendo controladas pelos aliens, então sendo controladas por crianças e adolescentes. 

Alguns adultos, curiosamente, não sucumbem à Estática. Um desses adultos é o protagonista do livro: Holt. Ele e seu cão, Max, estão, agora, à procura de Mira, uma garota que é super procurada pelas pessoas que moram na Cidade da Meia-Noite. Se Holt capturá-la conseguirá trocá-la pela recompensa oferecida. Acontece que Mira é esperta e ágil, além disso é uma Bucaneira, ou seja, sabe utilizar objetos "mágicos" buscados em um lugar especial.

Depois de conseguir, finalmente, capturar Mira, Holt percebe que duas espécies de Confederados - ou mais - estão lutando umas contra as outras. Quando uma das naves dos aliens cai, Holt entra e salva uma garotinha, que sabe apenas o próprio nome: Zoey. Com o passar do tempo, Mira e Holt começam a ficar próximos, assim como também percebem que Zoey tem habilidades especiais e que está sendo perseguida por todas as espécies diferentes de Confederados possíveis.

O livro é bom e eu adorei cada segundo da leitura. Porém, percebi algumas coisas muito clichês. E, não de livros, mas de filmes. Só depois, lendo a biografia do autor, descobri que ele já escreveu para séries e filmes, por isso algumas semelhanças, como o garoto durão que perdeu alguém do passado, a menina que não se dá bem com o cachorro, a garotinha que tenta fazer os dois mais velhos se darem bem...

Amei quando chegou a Parte II, onde conhecemos a Cidade da Meia-Noite. Eu conseguia imaginar perfeitamente o que o autor descrevia minuciosamente. Era quase como assistir a um filme. Cada cenário era diferente e nos faz querer que esses lugares realmente existam.

O autor deixou algumas coisas em aberto, deixando assim espaço para as continuações. E eu não vejo a hora de lê-las! Espero que elas não tenham tantos fatores clichês dessa vez e que correspondam as minhas inúmeras expectativas em relações aos segredos de Zoey!

10 comentários:

  1. Capa linda a desse livro! *-*
    A sinopse dele não me atrai logo de cara, mas adoro distopias e quero conferir essa! =D
    Ah, eu gosto de um pouquinho de clichê de vez em quando, rs.
    Gostei muito da sua resenha, fiquei mais curiosa ainda! haha
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei a resenha, ela me foi muito útil já que eu estou procurando um livro para comprar e a história desse parece ser bem interessante.
    Bjs.

    http://escritorawhovian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. A sinopse me já chamou a atenção, mas pela sua resenha é um livro de muitos clichês, o que eu tento passar longe ultimamente! Originalidade vale mais a pena.

    Beijos,
    http://misssorrisos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Roberta, tudo bem?
    Primeiro quero agradecer pelo comentário que você deixou no Leituracast

    Sobre a sua resenha, o livro parece ser bem interessante no seu contexto. Infelizmente esses clichês que você mencionou são praticamente uma receita de bolo que dá certo na maioria dos romances do gênero. Mesmo assim, acho que vale a pena conferir, principalmente porque ainda virão as sequências e, quem sabe, esses clichês não são desfeitos, não é?
    Dica anotada. Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  5. Oi
    A capa do livro está muito linda, mas acredita que ainda não tinha visto esse livro?
    Gostei de saber sobre ele, um ótima dica de leitura, vou colocar nos meus desejados.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  6. Fiquei com muita vontade de ler >.<

    Às vezes, clichê acaba sendo bom; eu, então, que adoro um romance de banca, me amarro em clichês xD

    e o fato de ser uma distopia "clicheriosa" (palavra que não existe, mas não me impede de usá-la ;P) dá um gostinho a mais na vontade de ler ^^

    ResponderExcluir
  7. Oi Roberta..
    Gosto de distopias, e este livro eu ainda não conhecia.
    Mas gostei da sua resenha, e me interessei pela obra.
    Esses momentos que ficam em aberto só servem para deixarmos curiosas para o próximo livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Ro tudo bem? dependendo do clichê eu adoro sabe hahaha? sou meio brega as vezes, mas achei bacana o autor ter deixado evidente algumas pontas soltas, eu adoro séries e vejo uma com potencial surgindo!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  9. Primeiro: seu layout é lindo *_*
    E ah, gostei da resenha.Não costumo ler esse tipo de livro,mas com a sua resenha fiquei com vontade de ler ^^
    Blog lindo,ehehehehe!


    Passa lá no meu blog?Eu publiquei um livro faz pouco tempo e gostaria que desse uma olhada *_*
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/2014/07/novidades-literarias-meu-livro.html#comment-form

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei muito desse livro, foi uma boa experiência com alienígenas e realmente, o autor deixa coisas em aberto, mas isso é bem comum. É como se eles quisessem manter a curiosidade da gente para as continuações. Vou ler, mas mais por ter gostado da ideia e dos personagens.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir