06 fevereiro 2017

Resenha: Meu Romeu - Leisa Rayven.

Meu Romeu
Starcrossed #1
Autora: Leisa Rayven
Editora: Globo Livros. 
Páginas: 407.

Cassie está prestes a realizar o grande sonho: estrelar um espetáculo na Broadway. O que ela não esperava era ter que enfrentar o reencontro com o ex-namorado, que será novamente protagonista ao seu lado, em uma peça cheia de romance e cenas quentes. Trabalhar com Ethan traz o passado à tona, e lembra a Cassie que o que existe entre eles vai muito além de simples química.


Oi, gente. Tudo bem?
Estou muito feliz em dizer para vocês que Meu Romeu é o 12º livro que leio em 2017! Acredito que vou conseguir alcançar minha meta de 60 esse ano! 

Meu Romeu é um new adult escrito pela Leisa Rayven. Vocês perceberam que estou lendo só livros desse gênero ultimamente, estou viciada e não consigo parar. Meu Romeu foi uma boa aposta! 

Nesta obra, temos como protagonista Cassandra Taylor, uma jovem que acabou de entrar para Grove (uma renomada faculdade de artes) para estudar artes cênicas. Já nos testes, ela conhece Ethan Holt, um cara bonito e misterioso. 

Temos dois ambientes e tempos diferentes de fundo aqui: New York - NY, onde Cassie reencontra um Ethan arrependido, que é capaz de fazer de tudo para eles voltarem e Westchester - NY, seis anos atrás, onde vamos vendo como os dois se conheceram e começaram a se relacionar. 
Em Westchester, os dois são colegas de turma e tem que contracenar juntos em Romeu e Julieta. Só que Ethan não quer ser Romeu de jeito nenhum (o título original do livro é Bad Romeo) e quer evitar Cassie, o que é impossível já que tem que ensaiar com ela todos os dias. Seis anos depois, os dois se reencontram na Broadway, onde voltam a contracenar como um casal. 

Seis anos atrás, Ethan era muito fechado, tentava não demonstrar o que sentia nem se envolver com Cassie, apesar dela sempre pressioná-lo. Cassie está, obviamente, apaixonada por Ethan, ao mesmo tempo em que está obcecada com a oportunidade de perder a virgindade! 

[...] Costumávamos ser boas amigas na época em que eu ainda achava que o irmão dela era nascido de uma mãe humana e não diretamente do cu de Satã. 

A narrativa da autora é clara e bem envolvente. Não consegui parar a leitura por nenhum momento, o que fez com que eu lesse esse livro muito rápido e ficasse com saudades dele logo depois. 

Gostei muito da construção dos personagens. A Cassie luta pelo que ela quer com unhas e dentes e é muito divertida. Sinceramente, se fosse eu a pessoa apaixonada pelo Ethan Holt, tinha desistido dele logo depois das primeiras merdas que ele faz. Claro que o Ethan tem um passado que o faz ser assim, mas não entendi porque ele faz tanto drama sobre isso. Acho que o que ele passou não era motivo para se tornar tão cínico e parar de acreditar no amor. 

Nas partes do "depois", percebemos o quanto o Ethan cresceu e achei incrível que a autora conseguiu fazer isso sem parecer forçado. O Ethan quer a Cassie de volta e tenta fazer tudo diferente do que fez antes e essas cenas são bem fofas. Já a Cassie está completamente amarga e tentando não mostrar o quanto ainda gosta de Holt. Os dois estão diferentes, mas ainda mantém as essências de quem um dia foram. 

- [...] Acho que minha mãe te convidou para o feriado de Ação de Graças porque acha que você pode me consertar.
- Não tinha percebido que você estava quebrado.
- Talvez não quebrado, mas sem dúvida nenhum com defeito. 

Me apaixonei pelo casal e acreditei na história de amor deles, mesmo que o Ethan tenha sido um cretino nas partes do "antes". Há outros personagens que nos chamam a atenção, mas todos permanecem em segundo plano, não havendo histórias paralelas e senti um pouco se falta disso. A boa notícia é que há um livro só para a Elissa, irmã de Holt. 

Recomendo esse livro para quem gosta de romance com uma pitada de drama! As quatrocentas páginas passam super rápido e no final, o leitor fica de coração partido querendo ler o próximo volume logo! 

Alguém aí já leu? Me digam o que acharam! Beijos 💜

30 janeiro 2017

Resenha: A Aposta - Vanessa Bosso.

A Aposta
Autora: Vanessa Bosso
Páginas: 288. 
Editora: Novas Páginas | Novo Conceito

A primeira experiência amorosa de Nina não foi nada boa. Diante de tamanha decepção, a garota não quer saber de namorados e seu coração virou uma pedra de gelo. No colégio, os garotos lançam uma aposta a Lex, o grande pegador , daqueles que arrancam suspiros até mesmo de objetos inanimados. Será que ele, com todo seu poder de sedução, conseguirá conquistar o coração de Nina? De forma hilária e dinâmica, a autora levará os leitores a uma viagem inesquecível, na qual a amizade e o amor reinarão em absoluto... Até que uma vingança surja em cena para estragar tudo. Quem sairá vencedor?
Façam suas apostas. O jogo está prestes a começar.

Oi, gente. Tudo bem?
Hoje, vou falar sobre o livro A Aposta, da Vanessa Bosso, que foi a primeira decepção de 2017 para mim, no quesito leitura.

A protagonista da A Aposta é Nina Albuquerque, menina "osso duro de roer" que sofreu em seu passado e agora tem uma barreira em torno do seu coração com uma plaquinha onde está escrito "meninos, fora!". Ela é bonita, é descrita como tendo "um corpão" e tem duas melhores amigas na escola: Nathi e Laís. Faz seis meses que Nina estuda na Escola Prisma em São Paulo, pois foi expulsa da última escola na qual estudou. 

Do outro lado, temos Alexandre, ou Lex, que estuda no Prisma há bastante tempo e tem um melhor amigo chamado Gancho. Lex é ótimo em esportes e é descrito como um musculoso que pega geral. Nada de novidade até aqui, não é? 

Existe uma "cultura de apostas" na Escola Prisma. Eu não lembrava que meninos do ensino médio podiam ser tão infantis e machistas, mas os personagens do livro estão sempre fazendo apostas do tipo Fulano versus Ciclana, que faz com que um menino tenha que ficar com uma menina escolhida pelos amigos dele. A menina não pode saber que ela é uma aposta. 

Logo no início do livro, Gancho solta a aposta Lex versus Nina para conseguir dinheiro para pagar o conserto da moto de Lex. Foco aqui: R$ 6000,00. Mesmo em escola particular, acho difícil essa soma ser levantada em pouco tempo por adolescentes, ainda mais por causa de uma aposta. Mas, ok, é, ficção, então vamos relevar essa parte. A Nina descobre a aposta e ela mesma resolve virar o jogo: se Lex fizer com que ela se apaixone por ele em uma semana (durante uma viagem de formandos), ela mesma paga os seis mil reais. 

Finalmente, os alunos viajam para a Ilha Inamorata e lá várias confusões acontecem, outras apostas surgem, festas e tal. Só que no primeiro dia, a Nina já estava se sentindo diferente. Gente, ela odiava o Lex desde sempre e começa a se apaixonar por ele assim que pensa que ele apostou que ficaria com ela? Como assim, produção? Nesse ponto, pensei "Ok, vamos relevar esse ponto também, afinal já li vários romances com paixões rápidas e gostei".



A Aposta parece um daqueles filmes adolescentes americanos: tem um trio de vilãs fúteis e a vilã-mor que é ex-namorada do mocinho, existe um melhor amigo do protagonista, um cara engraçado de quem todos riem e que não é levado a sério, o casal protagonista se perdendo no mato... Mas, a pior semelhança para mim é a competição feminina. Nessa obra, a competição entre as meninas é levado a um nível absurdo. Os maiores vilões do livro são os meninos que ficam fazendo apostas bestas e se achando os maiorais, mas as meninas ficam se bicando e se chamando de "vagabas" e "biscates". Sei que essa talvez possa ser a realidade dessa faixa etária, mas acredito que a literatura deva ir contra isso, contra o bullying, contra a violência simbólica, contra os padrões de beleza atuais... E isso não acontece em A Aposta. Eu acredito que a vida escolar não deve ser da forma como a que foi apresentada nessa obra. Nós, mulheres, somos muito melhor do que isso!

Não estou dizendo que todo livro tenha que falar sobre assuntos assim ou defendê-los de alguma forma, mas simplesmente não passar mensagens erradas nas entrelinhas. Lembro que li uma entrevista com a JK Rowling uma vez, onde perguntavam a ela porque um personagem (Voldemort, no caso) valorizava tanto o poder e a maldade (algo assim) e se isso não afetaria as crianças de forma negativa. A JK disse que as crianças entendiam que o Voldy era do mal e que os personagens do bem não faziam aquilo. Em A Aposta, a própria protagonista tem atitudes horríveis, como espalhar nudes de colegas por toda a escola, chamando-as de biscates. 

Assim que iniciei essa leitura, já fiquei um tanto decepcionada pelo livro ser voltado a adolescentes (que não é meu estilo), mas relevei esse fato assim como vários outros durante a leitura sempre com o pensamento de que podia ficar melhor, mas não ficou. Nenhum dos personagens me cativou, todos eles me pareceram fúteis e alguns preconceituosos. 

Dei 2 estrelas para a obra o Skoob, porque Vanessa Bosso escreve bem e achei a forma de narrativa da obra bem diferente. Claro que cada um de vocês deve analisar outras resenhas da obra para decidir se essa é ou não uma leitura que vocês querem fazer. Vocês não tem ideia de como me magoa não gostar de alguma obra nacional. 

Alguém aí já leu? Me contem nos comentários. Beijos 💜

26 janeiro 2017

Resenha: O Acordo - Elle Kennedy.

O Acordo
Série Off-Campus (EUA) / Amores improváveis (Brasil)
Autora: Elle Kennedy
Páginas: 360. 
Editora: Paralela. 

Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

Oi, gente. Tudo bem?
Vocês sabem que meu gênero favorito do momento é o new adult (até estou escrevendo um), então fico bem atenta quando percebo novos lançamentos e resenhas de livros com esse tema. Eu já estava com vontade de ler O Acordo quando acabei lendo uma resenha sobre a obra no Skoob. Fiquei ainda mais curiosa e acabei passando o livro para o topo da pilha de leitura. 

O Acordo nos traz Hannah Wells, estudante universitária que tem algo em seu passado. Hannah tem uma personalidade forte, não curte atletas e raramente fica atraída de verdade por alguém, até que Justin Kohl aparece com seu ar intelectual e cabelo despenteado.

Garrett Graham é o líder do time de hóquei da faculdade, ele estuda História (💜) e geralmente tem boas notas, porém a disciplina de Ética está dando trabalho para ele e ele acaba descobrindo que Hannah (com quem ele nunca havia conversado antes) tirou nota A. Para que ela o ajude a estudar, Garrett se oferece para sair com Hannah, consequentemente tornando-a popular, para que Justin a note.



A primeira coisa que você, leitor, deve saber é que New Adult é o meu gênero literário favorito do momento (sim, estou repetindo isso!). Acredito que li uns sete ou oito livros do gênero até agora. Sabendo disso, você também deve saber que O Acordo é o que mais gostei!

O ponto que mais me chamou atenção na obra é o desenvolvimento dos personagens. Hannah e Garret têm passados, têm histórias e personalidades únicas. As atitudes de Hannah são consequência daquilo que ela sofreu no passado e é fácil para o leitor entender o motivo das ações dela. Além disso, os dois são apaixonantes! Os personagens secundários também são bem aproveitados (até porquê alguns deles aparecerão nos próximos volumes da série).

Outro ponto que posso destacar são as cenas íntimas bem escritas. Já li cenas de sexo que me deixaram desconfortável e outras que me deixaram esperando por mais. Em O Acordo essas partes são bem tranquilas, claras e bem fofas!



O romance de Hannah e Garrett convence e encanta desde o início. Os dois se completam de uma forma muito fofa! Devo dizer que os diálogos divertidos entre eles me fizeram rir bastante e as cenas românticas fizeram meu coração se apaixonar!

Li uma resenha que falava que Elle Kennedy poderia ter falado mais sobre o que aconteceu com Hannah no passado, mas acredito que a autora soube escrever um passado um tanto obscuro para cada um dos protagonistas sem banalizar o que eles sofreram, mas também sem tirar o foco do romance, que é o objetivo da obra. Eu não tiraria nem colocaria palavra alguma. 

Ele: Confissão: apaguei todas as músicas de One Direction do seu ipod quando você estava no banheiro. D nada.
Eu: O q?? Vou mamar vc!
Ele: Qd quiser!
Levo um segundo para entender o que aconteceu e fico pasma.
Eu: Matar vc! Quis dizer q vou MATAR vc. Maldito corretor.
Ele: Claaaaaaaaaro. Põe a culpa no corretor.

Nem sei se consegui expressar o quanto gostei desse livro! Recém terminei de lê-lo (dia 21.01.17) e já quero ler novamente. Também quero ler os próximos volumes que falam sobre os amigos de Garrett. Adorei o Logan e o livro dele já é o próximo!

Vocês já leram new adult? Gostaram? Comentem aí em baixo! Beijos 💙

25 janeiro 2017

Parceria: autora Nina Spim

Oi, gente. Tudo bem?
Estamos começando 2017 muito bem! Nossa segunda parceira do ano é a Nina Spim, autora dos contos Sutilmente, Caleidoscópio e Imersão. Vamos saber mais?

Nina Spim é uma escritora sonhadora dotada de blue feelings e acadêmica do curso de Jornalismo na PUC-RS. Autora dos contos “Heart and Love” e “Coisas, definitivamente, de Amélia”, das Antologias Amor nas Entrelinhas e Aquarela, respectivamente, pela Andross Editora. Autora dos contos "Caleidoscópio", "Imersão" e "Sutilmente", publicados na Amazon, e do conto "Roda-gigante", publicado online na revista Fluxo. "No Silêncio de um retrato" foi publicado na Antologia Ridículas Cartas de Amor e poemas na Antologia Ondas Poéticas, ambas pela Darda Editora. Colaboradora nos sites CONTI outra, Revista Pólen e HEADCANONS.


Caleidoscópio

Também escrito para o Prêmio Kindle de Literatura em 2015, o conto traz representação a pessoas com deficiência visual. Conhecer o infinito nunca foi tão fácil para Júlia, até que Daniel a fez sentir que a beleza não precisa ser enxergada para ser contemplada na infinitude de quem eram.





Imersão: o que é a depressão para você? 


Os dias difíceis parecem normais para todos, certo? Mas, no caso de Lou, um dia difícil é muito mais do que isso. É uma luta constante contra si mesma e seus demônios invisíveis. Caio, seu marido, a aceita como é e muitas vezes precisa ser firme. O que é a depressão para você? Até quando você poderia vê-la desgastando a pessoa que mais ama?



Sutilmente

Este conto se encaixa na categoria de literatura LGBT. Por duas vezes, já esteve entre os 100 e-books gratuitos mais vendidos da plataforma e constantemente aparece no ranking geral. A escola pode ser um ambiente hostil para se fazer amizades e, ainda mais, para se apaixonar pela primeira vez. No entanto, é justamente na sala de aula que Giovana conhece a nuance e a cor do amor. Laura poderia ser a típica aluna nova amedrontada, mas seu mundo particular, cheio de certezas escondidas, nunca mais será o mesmo depois de conhecer a libertação que o novo provoca.



Qual conto mais interessou vocês? Logo trago as resenhas para vocês, aí fica mais fácil escolher! Beijos 💜